Arquivo mensal: junho 2010

Redenção

Ultimamente, eu tenho reclamado muito da minha vida, mas depois de um excelente episódio de Six Feet Under, é necessário admitir que estou reclamando de barriga cheia. Estou pronto para me render:

Bárbara: Você aparece primeiro porque acho que de certa forma você é um começo. Se a gente não tivesse feito curso junto, se a gente não tivesse conversado no formspring, se a gente não tivesse saído na mesma sala. Toda uma série de acontecimentos ( ou coincidências) levaram a esse momento. Se eu pudesse te definir em uma palavra ( e eu não posso!) diria que você é humana.

Humana quando erra, quando erra e admite os erros e quando erra mas teima que está certa.

Você está me ensinando a ser esperto, não inteligente. Fico feliz por todos os casos e acasos que nos tornaram amigos. Me desculpe pelas brigas fúteis, por, ás vezes, ser sensível demais.

Bia: Eu não sei por onde começar, acho que tudo que eu posso dizer é que você é muito especial na minha vida. Sei lá, você é indescritível. Você me entende, a gente ri e fala besteira. Nem sei se você vai ler isso, mas se ler, acho que vai sorrir, fechar os olhos, abri-los, me abraçar e dizer “Também te amo, amigo”. A gente se abraça longamente até eu dizer “Tá bom, chega”. Ou pode ser nada disso. E a gente ri. Desculpe por ser grosso com você ás vezes. Te adoro!!!

Paulinha: Sei que a gente não é o que pode se chamar de amigos do peito para todo o sempre (ok, isso foi brega, que tal BFF?), mas quero que saiba que não estou na sua frente, tampouco atrás. Estou do seu lado, pode contar comigo. Me desculpe por ser insensível e chato.

Tamâra: A primeira vez que eu te vi, não gostei de você. Nem um pouquinho. Não sei o porquê, mas achei que você era louca. Hoje que eu te conheço, tenho certeza disso. Uma vez você me disse que sou seu escritor favorito. Acho que você não deve conhecer muitos escritores. Nem sei se chego a ser um. Tudo bem, você é mesmo freak. Mas e daí? Você é o máximo. Desculpe quando desconto minha raiva em você. E quando te fiz chorar mesmo sem querer, mas você é muito sensível mesmo, tá?

Mãe: Você deve está se perguntando o porquê de você não aparecer primeiro. Ou não. Ás vezes eu não tenho a menor ideia do que passa na sua cabeça. E nem sei se você vai ler, não que você não queira, ( afinal se você pudesse leria minha mente) mas sim porque eu não gosto de te mostrar o que eu escrevo. Não tenho medo do julgamento de ninguém, mas do seu eu tenho. Só queria que você entendesse que algumas vezes eu estou certo e que você não é tão compreensiva quanto pensa. Desculpe por não falar muito, não contar tantas coisas como você gostaria de saber e por ser injusto ás vezes.

Pai: Ok,  acho que você é o mais difícil, mas vou tentar fazer meu melhor.

Eu te chamo de pai, mas isso não significa que você seja um e eu não consigo me convencer do contrário.

Chorei muito por sua causa. Durante muito tempo quis ir pra sua casa todo fim-de-semana, e quando ia, não sabia que você continuava tão longe como se eu não estivesse lá.

Não me arrependo de nenhuma lágrima que derramei por sua causa, elas me fizeram crescer, cedo demais talvez. E isso não é necessariamente bom

Me desculpe por não ter sido rígido com você, talvez você precisasse de um puxão de orelha e que eu dissesse “você tem um filho, sabia?”, mas nem sei se isso adiantaria, você é mais imaturo do que eu. Mesmo assim, desculpa por não ter dito umas verdades, pelo menos esse peso morto eu não ia ter.

: De verdade, eu só tenho a agradecer e me desculpar. Você sempre cuidou de mim. Desculpe por TODAS as coisas.

: Obrigado por ser o pai que eu nunca tive. Nunca vou conseguir resumir em palavras o quanto especial você é pra mim.

Tios, tias e parentes: Só queria que vocês soubessem que não esqueci de vocês. Embora ás vezes não pareça, eu amo vocês. São tantas coisa que eu acho impossível listar tudo.

Jack: Nossa, nunca achei que ia fazer amizade pela internet. Mas hoje eu acho que posso dizer que você é de fato uma amiga. Pelo menos pra mim. Valeu por confiar e contar aquelas coisas que acho que só se conta para um amigo. Acho que nunca te contei isso, mas seria bem legal te conhecer pessoalmente.

Aos que esqueci: Se eu te esqueci ou você não está aqui, não significa que você não faça parte da minha vida. Significa apenas que não estava pensando em você no momento. Isso não é necessariamente ruim, já que tenho o péssimo costume de enjoar das pessoas depois de um tempo. Enfim, desculpa qualquer coisa (embora eu ache que pedir desculpa por qualquer coisa não seja uma desculpa de verdade).

André Pacheco: Você não me conhece e nem eu te conheço. Mas mesmo assim você faz parte da minha vida. Tudo bem, talvez não você, afinal eu só conheço seus textos e ele não são você. São uma parte. Uma parte que eu admiro muito e que me diz o que eu preciso ouvir, mas exatamente o que eu gostaria. Acho que as melhores pessoas aparecem assim, do nada. Enfim, sou seu fã mesmo que você nem me conheça.

E por último, mas não menos importante: Eu mesmo!!

Thiago: Por que você se colocou em último? Não que a ordem tenha importância, realmente não tem. Mas por que você se coloca em último na maioria das coisas? Não que você não seja egoísta, porque você é.  E mesmo sendo, você se prende demais às pessoas e acaba esquecendo um pouco de você.

Por que escrever pras pessoas que são importantes pra você? Você não vai se matar. Claro que você vai dizer que é porque é importante pra pessoas saberem o quanto elas são importantes pra você. Mas é por isso? Como não? Ah, você espera uma redenção. Pois vou ensinar uma coisa: não se consegue uma redenção com palavras. Jura que você sabia? Então porque continua insistindo com isso? Ah, não!! Dizer que é melhor com as palavras do que com ações não é desculpa, você não escreveu nada demais, ser sincero com as palavras não quer dizer ser bom. Ok, sem autopiedade. Mas você tem muito que aprender.

Se você quer tanto uma redenção, vou te dar outra lição valiosa: De nada adianta se desculpar com os outros se você não se desculpar. E daí se você já sabe disso? Saber não é fazer.

De qualquer jeito, espero que ache o que procure, embora não esteja sendo fácil. Só pense se realmente você precisa de uma redenção.

Anúncios

11 vidas

Capítulo 5 – O Albúm

Estou há cinco dias no hospital, tempo suficiente para pensar sobre tudo que tinha acontecido nos últimos tempos comigo. Sofia apareceu na minha vida de um modo inesperado e até poético. Nunca acreditei em amor à primeira vista até conhece – lá, mas aprendi que amor vem com convivência. Eu não fiquei tão apaixonado quando ela disse que está grávida do Vinícius, o mesmo que me matou atropelado. Eric não é meu pai biológico e sentado nessa cama de hospital eu percebo com isso é tão pouco importante, claro que eu tenho vontade de conhecer meu pai de sangue, mas tenho mais vontade ainda que Eric consiga ser um pai. Continuar lendo 11 vidas