Eu não estou com o controle remoto.

A humanidade se acostumou a contar o tempo em anos.E o mundo Ocidental acha relevante celebrar a virada de ano. Eu não acho. Pra mim, o tempo sequer é linear. Eu recorto pedaços dele e monto de forma que aqueles momentos que mais gosto fiquem sempre por perto, assim posso voltar neles quando quero. Os que não gosto, ficam meio escondidos, mas não se esquecem, graças a minha boa memória. Eu não comemoro ano-novo. Eu não faço resoluções de ano-novo. Eu não faço balanço de um ano qualquer. Mas aproveitando esse falso clima de renovação, eu gostaria de falar algumas coisas. Não cito o nome de ninguém, mas você vai entender se eu me referir a você.

Eu achava que as pessoas eram substituíveis, quer dizer, num planeta de 7 bilhões de pessoas, achava ridícula essa história de “alma gêmea”, “the one” e etc. É, ainda acho “alma gêmea” uma coisa meio ridícula, mas se teve uma coisa que eu entendi com você é que é impossível substituir alguém. Ainda existe milhões de pessoas que se possa amar, mas nenhuma delas vai ser igual. Os pequenos detalhes, tão ‘ínfimos’ que os achamos ínfimos. Esqueça a Adele, eu não vou achar alguém como você. E isso é uma coisa boa, eu posso conviver com isso. Imagine que desperdício seria se eu encontrasse outro igual. Você deixaria de ser o que foi e seria qualquer coisa. Se serve de consolo, você foi maior do que deveria ter sido. Mas agora você é uma coisa pequena, esqueça o que eu disse na outra noite, eu não quero voltar atrás. Não vou passar minha vida nesse vai e volta. Como você disse, as coisas não tem que serem definitivas. Se a gente está por perto, a gente está por perto. Estou passando por um momento de descomplicação. Está tudo mais ou menos. A gente vai acabar se esbarrando mesmo, então nossas palavras não nos servem mais e está na hora de seguir em frente. Mas quem sabe eu olho pra trás, só pra ver se você faria o mesmo.

Quem eu mais imaginava que estaria comigo esse ano, eu cortei fora da minha vida. E quem tinha todos os motivos pra  ir embora e não voltar, ficou esse tempo todo. Eu não costumo agradecer as pessoas por elas estarem em minha vida, mas eu sou grato por ter você. Eu quero nós por um longo tempo.

Tem certas barreiras que me impedem de chegar mais perto das pessoas, e isso é uma droga. Mas quem sabe num futuro não muito distante a gente possa ser amigo de verdade, do tipo que divide brigadeiro de panela e vai na casa do outro pra ver Will e Grace? Estou sendo patético? Desculpe, é que eu realmente queria ser seu amigo, desses próximos, sabe? Você é agradabilíssimo de se ter por perto.

Talvez eu tenha achado minha vocação esse ano e eu te agradeço por isso. Por ter acreditado em mim quando eu não tinha confiança. Ainda tenho muito (e  coloca muito nisso) pra aprender. Mas eu sei que consigo se eu realmente me esforçar, como você diz, me fazer bom. E não teria cogitado isso se você não estivesse por lá pra dizer (lê-se gritar) quando estava ruim. Acho que falo por todos quando digo que sua sinceridade e esforço por estar lá toda semana foi algo que marcou o ano. Quinta-feira continuou sendo meu dia favorito desde os  tempos de revista Recreio. 

Falando nisso, eu gostaria mesmo de agradecer a todos, de coração, que foram de tão longe (alguns de tão perto) só pra me ver. Não teriam a menor graça de fazer aquilo sabendo que vocês não estariam lá. Aquilo foi inesquecível.

Eu tive uma das tarde mais agradáveis da minha vida com alguém que eu ainda não conheço o tanto que gostaria. Aquilo foi incrível e eu quero fazer de novo. Pois é, me conectei fácil a você.

Eu acho que não sou muito bom em relacionamentos e acho que isso não é legal com você, tão amável e prestativo. Mas estamos aprendendo juntos e mantendo. Isso é o mais importante.

Um carinha me ensinou, sem querer, que é mais sábio aprender pelo erro alheio do que ir lá e quebrar a cara. Isso foi e continua sendo o máximo.

Tem gente que está indo embora e eu não sei se vão se afastar ou não. Seria legal se elas ficassem, mas se teve que eu não faço é forçar minha presença. A maioria dos momentos com vocês foram incríveis, espero que não tenham sido algo tão passageiro. Se foram, bom, boa sorte nessa nova fase da vida de vocês. De qualquer forma, a gente vai se ver em Março naquele filme, yep!

Conheci gente nova e planejo estar mais presente na vida delas. Eu sou assim, desvendo as pessoas quando elas permitem ou não. Até que eu decida parar. Porque mesmo aqueles bons momentos que eu guardo por perto, bom, eu não tenho o menor interesse de viver pra sempre naquele momento.

Eu vou mesmo falar uma coisa muita íntima agora: quando eu penso nesse lance de vida eterna me dá um desespero muito grande. Uma existência que nunca, nunca, nunca, nunca, nunca acaba é assustadora pra mim.

Apesar de todos os bons momentos, eu não quero vivê-los pra sempre. Portanto, vocês que precisam de um novo ano pra um novo começo, ele está aí. E eu estou sempre por aí, perdido em algum lugar, sem data pra replay, pause ou repeat.

Feliz ano ano, seja lá o que isso significa.

Anúncios

Um comentário sobre “Eu não estou com o controle remoto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s